reusogrande

Especialistas debatem reúso de água no Brasil e no mundo

A Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental (SNSA) do Ministério das Cidades (MCid) e o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) promoveram, nos dias 12 e 13 de junho, o “Seminário Nacional do Projeto Reúso”. O evento abordou a atual situação do reúso de água no Brasil e em âmbito mundial, além de discutir potenciais de reúso de água e suas tendências, elementos regulatórios e meios de financiamento para o setor.

Oficinas foram realizadas na sede do IICA Brasil

Oficinas foram realizadas na sede do IICA Brasil

O Representante do IICA no Brasil, Hernán Chiriboga, destacou o trabalho conjunto entre MCid, o consórcio CH2M e IICA, com apoio de especialistas de renome internacional. “As projeções apontam que, em 2050, seremos mais de 9 bilhões de pessoas no planeta. Iniciativas como esta relacionadas a reúso de água são essenciais para que evitemos problemas no futuro, quando haverá menos acesso a solo e a recursos hídricos”, declarou.

Conforme destacou o diretor do Departamento de Articulação Institucional da SNSA/MCid, Ernani Ciríaco, o Ministério busca interagir ao máximo com os demais Ministérios e órgãos que têm interface com o tema. No próprio Programa Interáguas há a participação direta dos Ministérios da Integração Nacional, do Meio Ambiente e da Agência Nacional de Águas, além do MCid. “Há também iniciativas no Congresso Nacional relativas ao tema. Dessa forma, mantemos o diálogo e fizemos apelo ao Congresso para que os projetos de lei aguardem o resultado desse trabalho, onde teremos mais elementos para fazer uma legislação mais objetiva, mais pragmática, com foco no que é mais importante para o reúso de água no país”, lembrou.

Potenciais de reúso
O objetivo do estudo que integra o Interáguas é propor um plano de ações para instituir uma política de reúso de efluente sanitário tratado no Brasil, destacando potenciais de implantação, além de sugerir modelos de financiamento e/ou subsídios tarifários. Bill Kreutzberger, coordenador geral do Projeto Reúso pela CH2M, apontou que ele também irá definir padrões de qualidade para reúso de água e avaliar as tecnologias disponíveis. “A partir da análise das experiências nacionais e internacionais em termos de projetos de reúso, queremos alinhar o plano de ação que sendo elaborado com as políticas de saneamento já existentes no país”, afirmou.

As atividades do seminário foram realizadas no MCid, no dia 12,  e na sede do IICA Brasil, em oficinas no dia 14, com a apresentação de modelos de financiamentos nacionais e internacionais, tarifas e subsídios técnicos para o aperfeiçoamento do projeto.

Visita de campo à Embrapa Hortaliças

Visita de campo à Embrapa Hortaliças

Para o secretário de Recursos Hídricos e Qualidade Ambiental (SRHQ) do MMA, Jair Tannús Júnior, os resultados do seminário contribuirão para aprimorar os projetos em curso sobre uso racional e reuso da água. “O seminário e as oficinas trazem propostas e com caráter agregador e complementar, que são subsídios para iniciativas futuras”.

Visita de campo
No dia 14 de junho, participantes do encontro fizeram uma visita técnica à unidade da Embrapa Hortaliças, quando tiveram a oportunidade de conhecer as ações da Embrapa relativas a reúso de água, além da estação de tratamento de esgoto (ETE) lá instalada.

O reúso de água consiste no aproveitamento de um recurso hídrico existente – neste caso, efluente sanitário purificado – para aplicações como irrigação, usos urbanos não potáveis, usos industriais ou recarga de aquíferos. O Projeto Reúso é uma das estratégias sustentáveis para garantir segurança hídrica e para promover redução de perdas de água, a despoluição, proteção e recuperação de bacias hidrográficas, o incremento do armazenamento de água superficial, dentre outros.

Confira a galeria de imagens do evento:

 

Fotos: Cláudio Lima